Ferramentas de Usuário

Ferramentas de Site


dev_geral:bases_de_dados:sgbd

Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD)

Introdução

Sistemas de Gestão de bases de dados são programas que permitem criar e manipular bases de dados, em que os dados são estruturados com independência (isto é, de forma a ser possível alterar a estrutura dos dados de uma base de dados, quer a nível físico quer a nível conceptual, sem que isso implique a necessidade de reformular o programa que opera com os dados) relativamente aos programas de aplicação que os manipulam.

Os 3 níveis da arquitectura de um SGBD:

  • Nível físico: é constituído pelo armazenamento dos ficheiros de dados em suportes informáticos e a forma como eles se encontram organizados nesse suporte.
  • Nível conceptual: organização da informação em entidades e relacionamentos
  • Nível de visualização: ecrãs com interfaces que apresentam a informação da base de dados.

Principais tipos de operações com um SGBD:

No que diz respeito à manipulação de dados, as principais operações disponibilizadas são:

  • Inserir novos registos
  • Procurar e visualizar um registo
  • Eliminar um registo
  • Seleccionar registo e/ou campos
  • Ordenar os registos de um ficheiro
  • Juntar ou intercalar registos
  • Fazer cópias ou duplicações de ficheiros
  • Alterar a estrutura de campos de um ficheiro
  • Eliminar ficheiros
  • Etc…

Nota: Dado / campo / registo / ficheiro

Para além da operações de manipulação de dados, um SGBD disponibiliza ainda outras funcionalidade, nomeadamente:

  • Controlo de acesso
  • Controlo de integridade
  • Acesso concorrente
  • Backups e recuperação de dados

Instância / Esquema

O Esquema de uma base de dados consiste no design (estrutura lógica) com que a base de dados é definida, o modo como é concebida a organização da informação. A linguagem utilizada é a LDD (Linguagem de Definição de Dados). Uma Instância de uma base de dados refere-se aos dados concretos que ela contém em cada momento, os quais obviamente podem variar. A linguagem utilizada é a LMD (Linguagem de Manipulação de Dados).

Modelo Entidade-Relacionamento (E-R)

  • Revela-se bastante útil para definir o esquema geral (design) da base de dados
  • É composto por Entidades e Atributos (ou características que definem e compõem as Entidades)
  • Alguns exemplos de Entidades: pessoas, empresas, produtos, etc…
  • Alguns exemplos de Atributos: Nome, Idade, Nº contribuinte, etc…
  • Quando definimos uma Entidade, normalmente refere-se a uma classe de Entidades e não a uma Entidade concreta.
  • Uma Entidade corresponde a uma tabela
  • Os Atributos dessas Entidades correspondem aos campos da tabela.
  • Os vários elementos da Entidade correspondem aos registos

Tipos de Relacionamentos

Relações – Definições

  • Unárias – é quando uma classe de entidades mantém um relacionamento consigo própria
  • Binárias – Sempre que temos 2 entidades e percebemos que existe entre elas qualquer forma de relacionamento
  • Ternárias – Relações que envolvem 3 entidades, simultaneamente

Referências

  1. Thomas Connolly, Carolyn Begg, Anne Strachan. Database Systems, A Practical Approach to Design, Implementation, and Management, 2nd Edition.
dev_geral/bases_de_dados/sgbd.txt · Última modificação em: 2018/05/14 21:37 (edição externa)